O amor é a comunhão das coisas

Tags

, , , ,

    Nesses tempos hodiernos o amor vem ganhando diversas formas e contextos muitos diversos dos conhecidos pelos gregos. Não mais só se conhece o amor por uma perspectiva de família, amigos, irmãos ou entre casais, mas uma nova face vem ganhando destaque, qual seja, o amor a si próprio. Grande dúvida gera nesses últimos tempos se se possível falar em um amor de si próprio.

   Para poder falar do amor a si próprio devemos fazer uma breve análise sobre a legitimidade dos demais amores e assim analisar sua existência real. Vejamos.

       Quanto ao amor entre pai e filho não há dúvida que este exista e é bastante construtivo, pode com tranquilidade apontar como a seguinte fala: Olha como essa família se ama. É uma relação bastante comum na humanidade, se não fosse por essa dificilmente o gênero humano teria sobrevivido, pois não haveria uma mãe amorosa que sustentasse seu filho, nem um pai que protegesse seu filho dos perigos da floresta, em  uma ótica “selvagem”, ou dos perigos da civilização, em uma ótica moderna. Enfim, o amor entre pais é mais do que legitimo.

       Não, ipso facto, há dúvidas quando o amor entre amigos e irmãos, uma vez que é esse que faz o homem não morrer de tédio, atolado em seu próprio e monótomo jeito de viver. O amor entre irmãos é visto como uma relação de amigos onde um confia ao outros seus segredos de infância, suas paixões da adolescência e sua estratégias da vida de adulto. Nessa mesma lógica, o amor entre amigos é visto como uma relação de irmãos, visto que é no colo deste companheiro de todas as horas que o homem deposita seus anseios e suas lágrimas.

      Sem receio é aprovado o amor entre casais como algo mais legítimo que a sociedade possui. É por esse amor que a sociedade sobreviveu e sobrevive pelos séculos. É isso que faz o homem e a mulher não permanecer em um só, mas poder ser dois, três, quatro e o infinito que os abraça. Mas do que a reprodução, esse amor que torno possível o homem sair de sua vida solitária e abraçar uma vida a dois.

      Porém, como dito acima, grande dúvida surge se podemos considerar a existe de uma nova espécie de amor: o amor a si próprio. Não devemos tê-lo como verdadeiro se esse amor vive sozinho mergulhado em frente a um computador ou trancado em livros. O amor próprio só existe se é vivido para que os outros amores existam. Se amar é buscar obedecer as regras que amor impõe em suas diferentes facetas.

       Só há amor quando é compartilhado, mesmo sendo um amor a si próprio, pois amamo-nos quando nos amamos para amar os outros. Aquele que gosta de si ama os outros para não se ver destruído.

      Peçamos a Virgem Santíssima que nos ensine nos amar para podermos amor os nosso irmãos.

Evangelho do dia (Jo 12,44-50)

Tags

, , , ,

O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus exclamou em alta voz: “Quem crê em mim não é em mim que crê, mas naquele que me enviou. Quem me vê, vê aquele que me enviou. Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.

Se alguém ouvir as minhas palavras e não as observar, eu não o julgo, porque eu não vim para julgar o mundo, mas para salvá-lo. Quem me rejeita e não aceita as minhas palavras já tem o seu juiz: a palavra que eu falei o julgará no último dia. Porque eu não falei por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, ele é quem me ordenou o que eu devia dizer e falar. Eu sei que o seu mandamento é vida eterna. Portanto, o que eu digo, eu o digo conforme o Pai me falou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

> Nem sempre nossos ouvidos estão prontos para estucar as palavras de Deus, vezes por estarmos preocupados em demasia pelas coisas do mundo, vezes por não estarmos dispostos a entregarmos a algo tão inovador. Para podermos sempre estar dispostos as coisas de Deus devemos nos entregar totalmente ao silêncio, não um silêncio de estar afastado de qualquer barulho, mas por estar com a alma abraçada na paz de Deus.

   Estar abraçado com o silêncio é fundamental para por em prática as palavras de nosso Deus. Devemos todos buscar viver a obra de paz, pois só isso garantirá ao nosso planeta tempos de paz. Somente crendo em Cristo estabeleceremos um reino de paz em nossa era. Mas não é fácil chegar ao cumprimento das palavras de Deus, pois alcançar uma paz de alma é só para aqueles que comunga da paz de Cristo.

    Mesmo sendo difícil alcançar a paz de Cristo é de fundamental importância, uma vez que além de garantir nossa salvação proporciona ao mundo tempos de paz. Ora se todos fossem fiéis a missão de Cristo o mundo alcançaria essa paz tão sonhada, porém relutamos em nos afastar desta paz e mal continua a reinar sobre nossos lares, nossas escolas, enfim, sobre nossa vida.

    Peçamos a Nossa Senhora que nos conduza nos caminhos de paz para que sejamos livres da tristeza desse século.

Evangelho do dia (Jo 10,1-10)

Tags

, , , ,

O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: “Em verdade, em verdade vos digo, quem não entra no redil das ovelhas pela porta, mas sobe por outro lugar, é ladrão e assaltante. Quem entra pela porta é o pastor das ovelhas. A esse o porteiro abre, e as ovelhas escutam a sua voz; ele chama as ovelhas pelo nome e as conduz para fora.E, depois de fazer sair todas as que são suas, caminha à sua frente, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz. Mas não seguem um estranho, antes fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos”.

Jesus contou-lhes esta parábola, mas eles não entenderam o que ele queria dizer. Então Jesus continuou: “Em verdade, em verdade vos digo, eu sou a porta das ovelhas. Todos aqueles que vieram antes de mim são ladrões e assaltantes, mas as ovelhas não os escutaram. Eu sou a porta. Quem entrar por mim, será salvo; entrará e sairá e encontrará pastagem. O ladrão só vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

> Caríssimos, como é difícil, diga-se mil vezes, escolher o caminho da verdade, por mais que tentemos ter uma vida irrepreensível sempre a´parecerá uma pedra em nosso caminho.  Somos chamados a caminhar na retidão, mas não é simples, exige de nós força e fé para poder prosseguir. Quantos espinhos deveremos suportar para chegar nos braços do pai, deveremos suportar ameaças, perseguições, zombaria e mais tantas outras angustias.

   Mas, saibamos Deus é um deus amoroso que não permite que seus filhos sofram, sempre ele buscará nos ajudar nos momentos de dificuldade levando-nos em seus braços até sua morada. Somos as ovelhas do senhor e temos um bom Pastor que nos conduze para um lugar de amor. Porém, não podemos somente esperar que Deus nos conduza devemos também buscar seus ensinamentos para estar em plena comunhão com ele.

  Cristo é o  bom pastor que sempre nos conduz, todavia há uma voz que desconhecemos e por isso é bastante perigosa, não é a voz do Nosso Pastor, mas bastante semelhante a uma voz de autoridade, que nos convida a seguir caminhos estranhos, devemos fugir dessa para que não caiamos é um lugar tenebroso, pois é para este lugar que essa voz estranha quer nos levar.

    Peçamos a Virgem Santíssima que sempre nos ensine a bem ouvir a voz de Nossa Pastor para que sempre estejamos no caminho da casa do Pai.

Evangelho do dia (Jo 6,44-51)

Tags

, , , , ,

O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: “Ninguém pode vir a mim, se o pai que me enviou não o atrai. E eu o ressuscitarei no último dia. Está escrito nos Profetas: ‘Todos serão discípulos de Deus’. Ora, todo aquele que escutou o Pai e por ele foi instruído, vem a mim. Não que alguém já tenha visto o Pai. Só aquele que vem de junto de Deus viu o Pai. Em verdade, em verdade vos digo, quem crê possui a vida eterna.

Eu sou o pão da vida. Os vossos pais comeram o maná no deserto e, no entanto, morreram. Eis aqui o pão que desce do céu: quem dele comer, nunca morrerá. Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

> Quando o sol se abriu apareceu diante dos meus olhos todos os meus erros, foi triste. Nada se esconde a luz, por mais que tente se esconder a luz revela tudo. Como o sol foi assim meus dias, grandiosos, porém pequeninos, mas sua luz é incomparável. Quão brande é a luz de Deus, sol maravilho, entra em nossos lares e revigora tudo, é por ele que nossos erros se revelam nos enche de vergonha diante de sua presença inefável.

    Deus é o sol de nossos vidas, é através da Eucaristia que ele se manifesta com todo seu poderio. Muito poderiam pensar: Como um Deus chamado de terrível pelos antigos poderia se fazer um simples pedaço de pai? Mas esse que é o grande milagre e o que faz Deus ser grande, pois mesmo ele podendo se manifestar de uma forma mais pomposa diante de seu servos escolheu se doar para eles. É neste gesto em que mesmo sendo rei se faz servo que reconhecemos a presença e a realeza de Cristo.

    É Jesus eucarístico que nos convida a segui-lo, não somos nós que escolhemos a Cristo, mas é o sol da nossa vida que clareia o caminho que devemos percorrer. Quão doce é esse mestre que mesmo sendo rei se coloca ao meio de seus seguidores e lhes dar de comer. Jesus é pão que alimente e a luz que nos ilumina o caminho.

   Peçamos a Virgem Santíssima que nos ensine a caminhar com Cristo comungando com todo o amor e carinho.

Evangelho do dia (Jo 6,35-40)

Tags

, , , ,

O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

Glória a vós, Senhor.

 

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede. Eu, porém, vos disse que vós me vistes, mas não acreditais. Todos os que o Pai me confia virão a mim, e quando vierem, não os afastarei.

Pois eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. E esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum daqueles que ele me deu, mas os ressuscite no último dia. Pois esta é a vontade do meu Pai: que toda pessoa que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna. E eu o ressuscitarei no último dia”.

 

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor

> Como é distante os céus aos nossos olhos, parece ser algo inatingível, pois é tão incomum a nossa realidade. Como os pássaros a voar é nosso fascínio pelas coisas do alto, visto que é um desejo da maioria que sonha poder ter a liberdade dos pássaros que se lançam nos ares e rompem as nuvens, assim é também é o sonho pelos céus. Como ansiamos pela liberdade. Mas por que não podemos alcançá-la? Somos indignos? Deus só criou os céus para os anjos bons.

       Digo vos que podemos sim alcançar a gloria celeste através de uma vida piedosa, poderia com isso surgir outra indagação: Como alcançar uma vida piedosa? Podemos sim alcançar uma vida piedosa, através dos ensinamentos de Jesus. Ele que desceu dos céus sabe como faz-nos subir aos céus, pois ele que possui as chaves da gloria “que abre e ninguém pode fechar; que fecha e ninguém pode abrir “(Ap 3, 7).

       Assim como Jesus possui autoridade para descer dos céus e subir aos céus pode nos ensinar como nós poderemos alcançar a gloria celeste. Quem crer nele já possui os primeiros passos para alcançar uma vida piedosa. Alcançaremos a honra de chegar a morada do Pai se vivermos como Jesus viveu. Os céus é alcançável, podemos adentrar as portas da glória.

      Peçamos a Virgem Santíssima que aumente nossa perseverança para que possamos alcançar os céus.

Evangelho do dia (Jo 6,30-35)

Tags

, , , ,

O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, a multidão perguntou a Jesus: “Que sinal realizas, para que possamos ver e crer em ti? Que obras fazes? Nossos pais comeram o maná no deserto, como está na Escritura: ‘Pão do céu deu-lhes a comer’”.

Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade vos digo, não foi Moisés quem vos deu o pão que veio do céu. É meu Pai que vos dá o verdadeiro pão do céu. Pois o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo”.

Então pediram: “Senhor, dá-nos sempre desse pão”. Jesus lhes disse: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

> A nossa cegueira vezes é bastante profunda por estarmos ofuscados pela incandescência da luz da vida, não conseguimos enxergar nitidamente por já estarmos acostumados com a escuridão. Não é que a luz produza em nós resultados nefastos, pois é impossível que algo que é a vida produza a morte, o problema está em nós, não nos preparamos para receber a luz e quando ela vem a nós não podemos ver mais nada a não ser a escuridão que desde sempre nos tomou.

    Como estavam cegos o povo de Israel que não conseguiam ver em Jesus Nosso Senhor a luz que ilumina o mundo, pediam sinais, visto que achavam que se ele não provasse não poderiam acreditar em suas palavras, sendo que Ele próprio era a prova. Para que isto não aconteça conosco devemos nos privar de apaixonarmos pelas trevas que nos rodeia, ela é bastante perigosa, uma vez que é bastante sedutora, pode conduzir-nos a uma profunda desilusão.

   É através da oração que conseguiremos enxergar Cristo como nosso único e verdadeiro redentor, como Aquele que é que era e que será, sem a pura água da oração que nos lava por inteiro e nos conduz ao caminho de luz não conseguiremos ver Cristo como Ele é e não nos entregaremos a Ele. É a oração o canal da luz.

    Que a Virgem Santíssima nos ensine a sermos orantes para que saibamos ver a Cristo em todos os momentos e que não fiquemos pedindo sinais como afronta a sua realeza.

Evangelho do dia (Jo 6,22-29)

Tags

, , ,

O Senhor esteja convosco.

Ele está no meio de nós.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

Glória a vós, Senhor.

Depois que Jesus saciara os cinco mil homens, seus discípulos o viram andando sobre o mar. No dia seguinte, a multidão que tinha ficado do outro lado do mar constatou que havia só uma barca e que Jesus não tinha subido para ela com os discípulos, mas que eles tinham partido sozinhos.

Entretanto, tinham chegado outras barcas de Tiberíades, perto do lugar onde tinham comido o pão depois de o Senhor ter dado graças. Quando a multidão viu que Jesus não estava ali, nem os seus discípulos, subiram às barcas e foram à procura de Jesus, em Cafarnaum.

Quando o encontraram no outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Rabi, quando chegaste aqui?” Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, eu vos digo: estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos. Esforçai-vos não pelo alimento que se perde, mas pelo alimento que permanece até a vida eterna, e que o Filho do homem vos dará. Pois este é quem o Pai marcou com seu selo”.

Então perguntaram: “Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?” Jesus respondeu: “A obra de Deus é que acrediteis naquele que ele enviou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

  Não sãos poucos que deixam-se iludir pelas coisas do mundo buscando simplesmente as coisas passageiras. Deus é amorosos para com todos, mas exige que haja uma certa doação também por nossa parte. Se só buscamos as coisa do mundo não poderemos agradar a Deus de todo, pois “nenhum servo pode servir a dois senhores: ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de aderir a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e ao dinheiro.” (Lc 16, 13). Todos aqueles que buscam saciar seus desejos mundanos sempre estarão servindo ao dinheiro.

       Como é trite abandonar o seguimento de Deus para se afundar nos ensinamentos do mundo. Devemos buscar sempre crer em Deus, crer no Pai não é somente guardar em nosso peito um sentimento de carinho por esse Ser Supremo, mas entregar-se totalmente a Ele, amando-O profundamente como amamos a nós mesmo. Crendo profundamente em Deus estaremos escapando de servir ao mundo, escapando de somente buscar Jesus por um interesse perecível.

       Peçamos a Nossa Mãe amável que nós ensine a sempre seguir Jesus amando-O profundamente, e assim crendo em nosso Deus onipotente.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 10.209 outros seguidores