Tags

, , ,

II. A Prática Perfeita

118. Tenho lido quase todos os livros que tratam da Devoção à Santíssima Virgem, e tenho conversado familiarmente com os mais santos e sábios personagens destes últimos tempos. No entanto declaro bem alto que não conheci nrezarem aprendi prática de devoção semelhante à que vou expor. Esta exige duma alma mais sacrifícios por Deus e a esvazia mais de si mesma e do seu amor próprio. Conserva-a ainda mais fielmente na graça e a graça nela. Une-a também mais perfeitamente a Jesus Cristo, e, finalmente, é mais gloriosa para Deus, mais santificante para a alma e mais útil ao próximo.

119. Como o essencial desta Devoção consiste no interior, que ela deve formar, não será igualmente compreendida por todos. Uns ficarão no que é exterior e não passarão além; e estes serão a maioria. Outros, e serão em pequeno número, penetrarão no interior da Devoção, mas subirão um degrau. Quem subirá ao segundo? Quem chegará ao terceiro? E quem aí se estabelecerá duma maneira permanente? Só aquele a quem o Espírito de Jesus Cristo revelar este segredo. Será Ele próprio quem conduzirá a alma fidelíssima para lá, para avançar de virtude em virtude, de graça em graça, de luz em luz até que chegue à transformação de si mesmo em Jesus Cristo, à plenitude da sua idade na Terra e da sua glória no Céu.

Anúncios